Entrevista no Expresso com a Solange Cosme,

A Vida de Saltos Altos também está presente no Facebook. Na página desta popular rede social qualquer um pode ser fã deste blogue.

A Vida de Saltos Altos

Já aqui tive a oportunidade de falar sobre os estudos recentes que indicam que as mulheres estão mais “online” dos que os homens. Na verdade parece que cada vez mais as mulheres estão nas redes sociais, no Facebook, no Twitter, no Pinterest. Mas a participação feminina na Internet não se fica por aqui! Cada vez mais mulheres estão activas em comunidades virtuais ou têm o seu próprio blogue, que alimentam diariamente de forma diligente e sem perder a motivação. De que falam e para quem falam pode ser muito diferenciado, mas há características que as colocam em comum.

GRITAR PARA O MUNDO INTEIRO…

Num mundo em que cada mulher tem de ser diferente, o patamar das exigências para se ser multitarefa parece aumentar desmesuradamente. Boa mãe, boa trabalhadora, boa esposa, empreendedora e motivada, tudo isto exige um trabalho diário que não é indiferente a nenhuma mulher. E chegou a altura das mulheres dizerem isso mesmo ao mundo inteiro.
Como comunicadoras natas as motivações para criarem um blogue são muito diferenciadas e acabamos por assistir a uma proliferação na Internet de blogues de todos os géneros – totalmente geridos por mulheres: blogues de mães, blogues de profissionais, blogues de gestão de carreira, blogues de coaching, blogues de culinária, blogues de moda e beleza, e aqueles em que a autora simplesmente fala de si própria e da vida que a rodeia.

Na imensa diferença encontramos assim alguns pontos comuns: as mulheres escrevem nos seus blogues porque gostam de comunicar. Gostam de perceber que não estão sozinhas, que alguém (mesmo que do outro lado do mundo) pode ter os mesmos gostos, as mesmas dificuldades, as mesmas manias, as mesmas frustrações, os mesmos hobbies.

E TER ALGUÉM DO OUTRO LADO QUE SENTE EXATAMENTE A MESMA COISA.
Num princípio comum em que “não interessa para quem estou a escrever, o que interessa é que sou verdadeiramente eu e estas são as minhas ideias” criam-se comunidades de pessoas semelhantes, de mulheres que têm algo em comum (mesmo que apenas um sentimento ou uma parcela da sua vida).

Muitas abraçam o seu blogue como uma forma de partilhar a sua visão do mundo ou da sua comunidade, outras abraçam-no como uma forma de ajudar mais mulheres a descobrirem-se a si próprias e a criarem o seu próprio caminho. Se por um lado pode ser uma forma de exorcizar medos e frustrações, pelo outro é uma forma de passar desejos, sonhos e ambições.

Acima de tudo parece que o tema principal que leva as mulheres a escreverem nos seus blogues é simples: motivação para partilhar. Seja o seu dia-a-dia, o seu hobby ou a sua carreira, “partilhar experiências” ainda é considerado por muitos como das poucas coisas em que “dando, fica-se com mais”.

 

Deixar uma resposta