Poesia coração prostituta

Meu coração é bordel de noites vagabundas,

Poesia minha saga,

Dedos escrevem nus,

Letras óbvias

poesia prostituta

ESPERA que mata aos poucos, vai, vem,

Corpo alugado alma perdida na escuridào,


Nua,
Entre os postes lunares da cidade,

Minhas palavras não são minhas,
Saem e gritam pelo mundo e se esquecem,
Na cocaína dos meus beijos de pavor,
Beijos de língua-pavor,
Beijos prostitutos,
Poesia,

Minha poesia é a sua vida retratada,
Tirada de escalas musicais tão novas,
Existindo ainda vestígios de Mozart na sala,

.
As visitas gordas matam minha ilusão de felicidade,
Meus livros exalam gozo puto e grosso,
Ofensivo.
O Poeta declama sua prostituta poesia,

Rosto bordado de pavor,

Verbos desconstruídos,
Puta vida prostituta,
Poesia vagabunda e doce,
Doce poesia idílica,

Estou na rua agora,
Uma chuva aveludada me molha as coxas e
os lábios,

Entro em parto com minha poesia,
Minha poesia prostituta….

signature

%d bloggers like this: